Sonhos, metas e 2017

Esta é a altura do ano em que mais se ouve falar de objetivos e resoluções, pelo que me fez sentido trazer aqui algumas considerações sobre a minha experiência nesta área.

Porque de facto o problema é que estas resoluções não se costumam manter por muito tempo e rapidamente vão por água abaixo. Muitas vezes porque não têm motivação de base suficiente para as suportar, outras vezes não são estruturadas de forma a serem realizáveis, ou seja, não têm passos básicos associados. Ou também porque são demasiadas de uma vez só.

Ainda assim, muitos conseguem realizar algumas das suas metas – o que é fantástico. Se este for o seu caso, imagine quanto mais poderia realizar ao fazê-lo de uma forma mais eficaz?

Se não é o seu caso e quer mudar algo na sua vida, leia com atenção.

Um erro muito comum ao definir objetivos é que aprendemos a definir objetivos SMART (específicos, mensuráveis, atingíveis, realistas e temporizáveis) e começamos por aí. Se o objetivo for perder peso, torná-lo SMART será definir algo como: Perder 5kg por mês pelos próximos 6 meses, fazendo caminhadas diárias, equilibrando a alimentação e reduzindo drasticamente o consumo de açúcar e glúten.

Os objetivos SMART são muito úteis, mas no momento adequado.

O que acontece é que acabamos por definir objetivos soltos e passado alguns dias damos por nós à procura de um sentido para aquele hábito ou tarefa – porque alterar hábitos ou criar novos hábitos envolve disciplina. E deixamos de fazer aquilo que é necessário para que a tal mudança aconteça.

Haverá uma forma mais eficaz de o fazer?

Porque me distraio facilmente com a vida, este tem sido um tema que tenho trabalhado ao longo dos anos e tenho experimentado todo o tipo de estratégias para me organizar e concretizar. Umas funcionam melhor do que outras.

Da mesma forma, tenho ajudado os meus clientes a fazê-lo, de acordo com o que vou colocando em prática e que vai funcionando melhor.

Claro que somos todos diferentes e as estratégias podem variar, mas há algo comum a todos nós na base de tudo isto.

Mas primeiro gostaria de referir que, inicialmente, estabelecer metas e se organizar para as alcançar pode parecer dar mais trabalho e ocupar-lhe mais tempo. E compreendo porque eu achava o mesmo até o colocar em prática.

Por outro lado, pode gostar mais de fluir com a vida. E está tudo bem se se sentir bem no lugar onde se encontra.

Mas se há coisas que gostaria de mudar na sua vida ou em si, experimente. Dedique-se a fazê-lo – seriamente – e verá a mudança acontecer. Isso lhe garanto!

Ao estabelecer metas mais eficazes e de acordo com as suas necessidades na vida, o simples percorrer do caminho vai trazer-lhe maior satisfação. E ao se organizar para as alcançar vai libertar mais tempo para viver a sua vida.

E esta também é uma questão pertinente…

Quantas pessoas sentem que sobreviveram ao ano de 2016? Click To Tweet

Talvez você seja uma destas pessoas e sinta que neste ano desafiante não teve tempo ou oportunidade para realmente viver e apenas sobreviveu, lidando da melhor forma que pôde com todas as solicitações, compromissos, obrigações e afazeres.

E assim o tempo vai passando a correr e o sentimento de que falta algo, de que podia ser tão melhor, vai-se mantendo.

Porque não fazer então o que está ao seu alcance para mudar o rumo das coisas?

Não quer escolher a direção que a sua vida leva?

Acredito que sim, que o queira. Acredito que prefere criar o melhor ano de sempre em 2017.

E este é o momento. Não porque estamos no fim do ano e prestes a entrar em 2017. Mas porque este é o presente.

Em qualquer momento em que esteja a ler estas linhas é o momento de o fazer, de criar o melhor ano de sempre. E transformar a sua vida.

Pode até ser daquelas pessoas que se consideram mais precavidas, comedidas ou realistas e ser-lhe difícil pensar sequer que pode – ou vai – criar o seu melhor ano de sempre porque não sabe como as coisas vão correr, porque há circunstâncias da sua vida que não pode controlar.

Deixe-me dizer-lhe que se esperar que algo lhe traga essa confiança, motivação ou bem-estar, isso não vai acontecer.

Se esperar que o novo ano lhe traga as circunstâncias que o tornarão o melhor de sempre, provavelmente isso não vai acontecer.

Pode até acontecer algo inesperado que lhe traga essa alegria ou não, mas vai ficar à espera que a vida, o mundo ou os outros se decidam a fazê-lo por si? Porque quem sabe quantos anos ficará à espera? Está disposto a esperar e deixar a vida passar-lhe ao lado?

E essa insegurança pode ser-lhe tranquila ou gerar muito mal-estar e ansiedade.

Faça por si. Escolha por si.

Você não espera que o seu casamento lhe traga amor. Você coloca amor na relação. Click To Tweet

Você não espera que o dia lhe traga alegria e bem-estar. Você coloca alegria e bem-estar no dia.

Porque se espera que o mundo em volta dê sentido à sua vida, será viver na dependência dos outros e na ilusão de que isso venha a acontecer um dia.

Tome as rédeas da sua vida e escolha por si!

Escolha aquilo que lhe faz sentido, aquilo que quer!

Quer que o dia seja alegre? Acordar rabugento e continuar o dia com mau-humor não vai ajudar em nada.

Coloque alegria no seu dia. Sorria no espelho logo pela manhã. Dê os bons dias com entusiasmo àqueles com quem se encontra ao longo do dia.

Garanto que vai resultar bem melhor!

Vou dizer algo meio estranho, mas… Lembre-se da pescada, que antes de ser já o era. E antes de acontecer, seja, crie a oportunidade de experienciar aquilo que pretende.

Então crie o seu melhor ano de sempre, agora.

Crie o melhor 2017 possível!

Não comece a definir objetivos SMART, a pensar nas coisas que quer ou tem para fazer. Resultará apenas em longas listas de tarefas que mais cedo ou mais tarde deixará para trás.

Comece por sonhar. Click To Tweet

Há quanto tempo não sonha com aquilo que gostaria de ter, ser ou viver na sua vida?

Permita-se fazê-lo agora e veja o que mexe consigo de tal forma que faz toda a diferença para si. Aquilo que lhe faz todo o sentido para a vida. E registe tudo isso.

Defina a sua missão, o seu propósito de vida. Dê sentido à sua vida, não procure encontrar um sentido para ela.

Definiu o seu propósito de vida?

Avalie então como se sente neste momento nas diversas áreas da sua vida, em relação a essa missão, esse propósito.

Pode fazer uma versão do exercício da roda da vida para o ajudar neste ponto.

Descarregue a ficha aqui e faça o exercício.

E avalie como se sente nas diversas áreas da vida.

Um zero poderia ser algo como “em relação a este propósito de vida, sinto que estou bem longe para o realizar nesta área” e um 10 poderia ser “sinto-me ótima e estou a torná-lo possível!”

Depois pergunte-se:

“O que posso fazer para melhorar nesta área?”

E para isso tem de saber como é estar no nível 10. Como vai saber quando lá chegar?

“O que posso fazer para me aproximar dessa realidade?”

“O que faço para lá chegar?”

E daqui vão saindo os seus objetivos.

Em vez de os definir à toa, eles estarão alinhados com o seu propósito maior, de acordo com a sua visão para a vida. Terão mais sentido e será mais fácil manter a motivação para continuar no caminho.

E então, algo que é muito importante fazer para se manter no caminho, é o compromisso.

Agende no seu calendário tudo o que definiu.

Fazer o agendamento é imprescindível para que seja mais eficaz neste propósito.

Coloque na sua agenda a data em que quer que determinado objetivo esteja concluído. E agende pelo menos 4 ou 5 etapas necessárias para lá chegar.

Faça isto para todas estas metas e tem um plano de ataque para o ano, um mapa do caminho. A sua agenda é sua amiga. Ajuda-o a ir olhando o mapa para que não se perca no caminho.

E se em algum momento puser em causa determinada meta ou tarefa que agendou, dê-lhe sentido. Lembre-se porque a estabeleceu em primeiro lugar. Lembre-se da sua visão da vida, o seu propósito maior!

E use as suas emoções em todo este processo.

Se for um processo intelectual apenas, é provável que não se mantenha no caminho por muito tempo. Por isso é tão importante ir lembrando porque lhe faz sentido.

Sonhe com a sua visão da vida. Sinta porque quer que assim seja. Sinta qual a diferença ao alcançar essa visão.

Imagina-se a fazê-lo? Como se sente ao imaginá-lo? Como se sente por ter concretizado esta visão?

Experimente.

Tenho usado este processo e tem me servido bem. A mim e a muitos outros.

Eu sonho com um mundo com maior consciência. Um mundo em que os seus habitantes estão mais conscientes de si, das suas necessidades, do que lhes faz sentido e, por isso, fazem escolhas mais conscientes e de acordo com o seu propósito de vida.

Claro que isto traz um grande bem estar, um sentimento de empoderamento e mais tranquilidade, permitindo que realmente vivam a sua vida.

Com esta visão em mente, propus-me partilhar através de artigos, vídeos, podcasts e formação, informação, práticas e propostas de outras perspetivas sobre os mais diversos temas da vida.

E quer esteja de facto a ajudar a aumentar a consciência de outros ou não, estou a fazer aquilo que me faz sentido. E continuarei a dar o meu contributo da forma como sei. Até porque acredito que pode ajudar de outras formas ao bem-estar último e esse tem sido o feedback que tenho recebido. Mas tendo em conta a minha visão e os meus recursos, não me faria sentido fazer diferente.

Como pode contribuir para o seu sonho, a sua visão da vida?

O que pode fazer para realizar o seu propósito maior?

Experimente! E crie o ano que pretende. Agora. Avançando desta forma, construindo metas de frente para trás.

Recapitulando…

Qual o seu objetivo para 2017?

Onde gostaria de estar daqui a um ano nessa visão?

Pode fazer o exercício que partilhei no link ou dividir esse objetivo noutros 5 ou 6. Aqueles que são necessários concretizar para chegar a esse ponto. Divida-o em metas mais pequenas por 30 dias. Metas mensais. Veja quais são as ações que pode fazer diariamente ou semanalmente para o ajudar a alcançá-lo. E coloque na sua agenda.

E faça. Crie o melhor ano possível em 2017.

Lembre-se da pescada. Não espere que algo faça com que isso aconteça. Faça acontecer. Torne-o no melhor ano. Dê-lhe o sentido que pretende neste momento.

 

Publicado por Sofia Morgado

Psicóloga, hipnoterapeuta, formadora e facilitadora de grupos de ajuda, assim como de workshops, trabalho com a consciência e escrevo sobre desenvolvimento pessoal e relações intra e interpessoais.

Comentários

Sem comentários

Deixar uma resposta