Menu Fechar

Adiar a dor

relampagos no céu nocturno

Somos animais sociais e, como tal, relacionamo-nos com os outros em volta. Nestes relacionamentos, conflitos existem ou podem existir e existe uma tendência a evitá-los. E assim vamos adiando o encontro, o conflito, a dor e o desconforto que nos pode trazer.

Por muito que uma pessoa não goste de ir ao dentista, quando começa a sentir uma dor de dentes, geralmente ela vai. Vai porque a dor de dentes é muito chata. E, geralmente, quando esta dor de dentes persiste no tempo é mais chata ainda. Então a pessoa prefere ir ao dentista. Prefere que doa naquele momento e depois deixe de doer. Prefere resolver a situação e acabar com o problema.

Será que é isto que acontece quando falamos de outros tipos de dor, as dores emocionais? Quando estes desconfortos resultam do relacionamento com os outros, será que é isto que acontece?

Muitas vezes, mesmo sabendo que há uma solução, a pessoa prefere evitar o conflito pelo desconforto que lhe irá causar ou lhe poderá causar e já imagina que vai acontecer. Como tal, vai sentindo este desconforto ao longo do tempo, de uma forma persistente e muitas vezes constante. Mesmo que não veja o outro com quem evita o conflito, é algo que vai estar lá, em pano de fundo, na sua mente.

Assim, ela vai sofrendo diariamente, ao longo do tempo, enquanto não resolve a solução. Muitas vezes, porque pensa que a resolução da situação irá causar um maior desconforto do que aquele que sente no momento, embora nem sempre seja assim.

Será preferível sentir esse desconforto diariamente, deixando que persista ao longo do tempo, condicionando a sua vivência e limitando o seu bem-estar OU encarar logo de uma vez por todas aquele desconforto maior para resolver a situação e acabar com a história por ali?

E mesmo que o sofrimento que esteja a tentar evitar seja o do outro, a questão também se aplica. Será preferível deixar que o outro continue a sofrer ou será melhor deixar que doa de uma vez para acabar com o seu sofrimento, resolvendo a situação?

Numa situação destas, qual será a sua escolha? Porque sabe que a escolha é sua.

Deixe o seu comentário abaixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *