Menu Fechar

Comunicação interior

Quando aprendes a falar contigo próprio verificas que a Comunicação com os outros melhora, amplia-se e enriquece-se.

Marta Cabeza

Como podemos esperar comunicar com os outros de uma forma eficaz se não comunicamos connosco? Como podemos dizer e mostrar aos outros o que queremos se nós mesmos não o soubermos?

É importante olhar bem dentro de si e ouvir o coração, ouvir com o coração. É importante saber onde está e onde quer ir para que possa direccionar os seus passos no sentido daquilo que quer alcançar.

Se souber o que sente e no que acredita, se conhecer a sua essência, pode ser melhor quem é e comunicar melhor com os outros e aos outros esse estado do SER. E pode fazê-lo ouvindo-se a si mesmo, comunicando consigo de uma forma mais adequada.

Ao longo da nossa caminhada vamos ouvindo, lendo, vendo, captando muitas informações de diversas formas e de inúmeras fontes e, se não existir essa comunicação interior, podemos ficar confusos. Se assim for, vai coleccionando as opiniões dos outros, as experiências dos outros, os gostos dos outros. Vai fazendo as coisas por fazer e pode até dar por si a viver a vida por viver, sem objectivos próprios.

É importante parar e sentir qual é o seu caminho, se aquilo que faz é por escolha sua ou de outros. É importante ser sincero consigo, ser autêntico.

Muitas vezes há a tendência de fazer aquilo que os outros esperam de si, mesmo que não vá ao encontro da sua vontade e por vezes até pode pensar que o faz por motivos muito nobres. Mas e a sua vida, quem a vive?

Se não estiver bem, em algum ponto do caminho irá olhar para trás e lamentar tudo o que foi feito. E em prol de quê? De quem?

É bom fazermos algo pelos outros sim, desde que estejamos a ser sinceros connosco e que seja essa a escolha que queremos fazer de coração. Dessa forma nunca nos poderemos arrepender do que fazemos, desde que cada passo seja consciente, verdadeiro e dado de coração.

E se sentir que, algures pelo caminho, deixou de se ouvir a si mesmo, tem sempre a oportunidade de endireitar o rumo dos seus passos, para que estes o levem onde quer ir.

Não deixe de viver a sua vida por nada.

Não é egoísmo. É amor próprio. Se estiver bem, pode deixar os outros bem com maior facilidade. Claro que se estiver bem, também não conseguirá ver ninguém mal e será inevitável a vontade de ajudar. Mas essa vontade virá de dentro, não será um sentido de dever ou obrigação. É tudo uma questão de equilíbrio. E se estiver bem e equilibrado não caírá em extremos ou excessos.

Por tudo isto e muito mais, é muito importante conhecer-se, saber quem é e, para isso, precisa de olhar para dentro e escutar com atenção.

Deixe o seu comentário abaixo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *